Tal como acontece com o marketing tradicional e digital, o marketing pessoal não passa do delinear de estratégias para conseguir vender um produto. Neste caso, o “produto” é a própria pessoa e o objectivo que quer alcançar.

Neste artigo iremos abordar estratégias de marketing pessoal no âmbito profissional e para a integração no mercado de trabalho.

Criança com molas nos sapatos

 

Num mercado de trabalho altamente competitivo como o de hoje, há que fazer por se diferenciar dos demais candidatos. Potenciar uns traços de personalidade e varrer outros para debaixo do tapete pode não ser assim tão fácil. É por isso que as estratégias de marketing pessoal existem e é para isso que elas servem.

Numa situação de entrevista de emprego, o marketing pessoal pode tornar-se fundamental para ficar à frente de outros candidatos.

 

Qual é o objectivo principal?

Neste caso, falamos de conseguir um cargo numa dada empresa. Contudo, o objectivo poderia ser qualquer outro.

Para que tudo dê certo, é necessário estabelecer um objectivo e adequar tudo a isso mesmo. No caso de se candidatar a uma empresa, é essencial conhecer a empresa para trabalhar o curriculum, carta de apresentação e preparação para uma entrevista de emprego. Tudo deve coincidir com a visão da empresa em questão. Ao alinhar-se com esses valores, terá mais hipóteses de conseguir o cargo.

 

Ser visto pelos outros

A segunda pergunta que nos devemos perguntar é: “De que forma quero ser visto pelos outros”? É a partir da resposta que se começam a delinear traços de comunicação. E quando se fala em comunicação, fala-se em comportamento.

Principalmente no momento da entrevista de emprego, o comportamento é essencial. Se se quer ser visto com alguém principal há que ajustar o comportamento e discurso para se ser percebido como alguém profissional.

 

Empresário sentado em cima de uma mesa e a meditar num ambiente de reunião. Parte essencial do marketing pessoal é ter noção do comportamento adequado a cada situação.

Os pontos fortes

Apesar de ser importante mostrar aquilo que se quer ser aos olhos dos outros, é também necessário perceber o que os outros querem de nós.

Desta forma, é possível ver que pontos fortes se encaixam no que uma dada empresa precisa e enaltece-los perante um empregador. Cuidado com os pretensiosismos, a humildade também é crucial para passar uma boa imagem.

 

As redes sociais

O digital pode ser a melhor ferramenta para que alguém trabalhe a sua presença aos olhos de outros. Ou a pior.

Actualmente são muitos os empregadores que procuram os candidatos nas redes sociais com o intuito de ver quem realmente são. Por isso mesmo, ter é essencial que se trabalhe tanto a postura online como offline. As questões acima podem todas ser redirecionadas para traçar estratégias de marketing pessoal no digital.

Porém, há algo que o digital traz consigo que o offline não oferece: conteúdos. A partilha de imagens, artigos, pensamentos, entre outros, mostra muito de uma pessoa.

 

As redes sociais são boas plataformas para avançar com estratégias de marketing pessoal

 

Para terminar, a receita para ter uma boa imagem perante outros não é a mesma para todas as pessoas. Tudo depende das questões que se puseram em cima. Um bom marketing pessoal é aquele que conjuga os objectivos do candidato com os objectivos do empregador em perfeita harmonia.