A proactividade é um requisito recomendável num contexto laboral competitivo e exigente como aquele que enfrentamos. Por isso, arregace as mangas e lance as mãos à obra. É essencial, neste cenário, possuir espírito de iniciativa, capacidade de planeamento e implementação de acções, bem como resiliência para perseverar face aos nãos, ausências de resposta e demais obstáculos inerentes.

Jovens preparados para o mercado de trabalho

O resultado das suas acções depende de si, por isso, permita-se a focar na solução e não no problema.

Dicas para ser proactivo

1. Visão
Observe o que se passa à sua volta no mercado de trabalho, através de conversas com familiares, amigos e outros. Adicionalmente, faça o seu trabalho de investigação a partir da internet ou literatura especializada. Informe-se sobre as suas possibilidades e defina as suas prioridades.

2. Plano de acção
Defina a sua orientação, concretizando-a para o papel. Identifique as suas competências e os seus interesses, alinhando-os com o seu objectivo e acções a desenvolver para a sua concretização.

3. Candidatura espontânea
Faça o levantamento de empresas que correspondam à sua área de interesse e pesquise, com curiosidade, tudo o que pode sobre elas. Posteriormente, através do contacto telefónico com estes potenciais empregadores, solicite o endereço de email mais adequado para o envio da candidatura.

4. Personalização
Marque a diferença no envio do seu cv. Crie uma apresentação ou portefólio com foco na sua experiência profissional mais marcante, adequando-a à posição a que se candidata.

5. Follow up
Caso a caso, avalie a possibilidade e adequação de realizar um acompanhamento telefónico ou presencial para monitorizar a situação da sua candidatura e expressar, assim, interesse e empenho.

6. Melhore-se
Aposte na formação que considera pertinente para o exercício de determinada função que ambicione desempenhar. O fortalecimento das suas competências são uma vantagem competitiva.

7. Networking
O isolamento não favorece o intercâmbio de ideias ou a plasticidade de novas perspectivas. Por isso, procure, em acções de formação que frequente ou a seminários que vá, estabelecer redes de contacto que podem, de futuro, revelar-se de utilidade.

Veja também o texto que publicámos recentemente sobre as competências complementares.