Quando pensamos em enriquecer o nosso curriculum vitae e aumentar as nossas hipóteses de sucesso e evolução no trabalho, lembramo-nos normalmente de cursos de formação, workshops, actualização de conhecimentos, especializações e afins. Tudo isso será apropriado e sem dúvida muito útil para a carreira, mas por vezes deixamos ficar para trás outro tipo de competências que não as principais relativas à formação, habitualmente mais evidenciadas no CV.

softskills

São essas competências que nos ajudam a tornar profissionais mais competentes e “completos”. Falamos, por exemplo, da boa gestão do tempo, algo essencial em qualquer profissão. Ao sabermos gerir o nosso tempo de forma eficiente, será mais fácil distinguir entre o que é urgente e importante, definir prioridades na lista de tarefas e assim agilizar e terminar todas elas dentro de um timing determinado.

Esta é uma soft skill muito valorizada que trará benefícios a curto, médio e longo prazo, quer para o trabalhador, quer para a própria empresa.

Qualquer entidade empregadora quererá também contratar e manter na sua equipa alguém que tenha desenvolvido a sua capacidade de organização, daí que seja fundamental “treiná-la” desde cedo, enquanto ainda adquirimos a formação escolhida.

Saber trabalhar bem sob pressão e não se sentir intimidado por prazos apertados é outra competência bastante apreciada.

Não se deixar dominar pela precipitação e manter a calma mesmo em situações de stress é uma ferramenta útil em cargos que exigem o cumprimento constante de deadlines.

Outra competência importante será também a apetência para trabalhar em equipa, já que a maioria das profissões implica a convivência diária com colegas que podem ter influência directa nas tarefas que temos para desempenhar.

Caso não saibamos lidar de forma harmoniosa e correcta com os restantes membros da equipa onde nos inserimos, isso poderá prejudicar o bom funcionamento da empresa, além de originar mau ambiente dentro do local de trabalho.

Ter iniciativa, ser proactivo e demonstrar boas capacidades de liderança também se inserem no top das soft skills.

Não sendo as únicas competências essenciais a qualquer profissional, acabam por ser qualidades importantes muito valorizadas.

Numa primeira fase, durante uma entrevista entrevista de emprego, estas soft skills podem ser tópicos de conversa e detalhes que nos podem posicionar favoravelmente face a outros candidatos, e mais tarde, depois de conseguido o trabalho, permitir um melhor desempenho das tarefas diárias e uma evolução de carreira mais célere.

Na Master.D desenvolvemos regularmente nos nossos centros sessões complementares à formação que podem ajudar a desenvolver algumas das competências referidas. Pode acompanhar os nossos calendários de actividades mensais nesta página.