Partilhamos a experiência de uma formanda da Master.D que tirou o Curso de Eventos, Relações Públicas e Marketing.

Esperamos que este testemunho possa servir de incentivo a todos os nossos formandos.

Aqui fica a história:

Depois de uma vida longa na área do ensino, a “triste sorte” do desemprego bateu à porta. E foi depois de muito pensar sobre a almofada, que cheguei à conclusão de que não é esperando que a “alegria de viver” bata à porta, que conseguiria voltar a ser como antes.

Sempre fui uma pessoa muito dinâmica, ativa e com vontade de criar e mostrar talento no que melhor sei fazer. Cair do desespero, fugir, sentir receio dos resultados ou mostrar desconfiança em tudo e todos, não me parece que seja a melhor capa para cobrir os problemas. Todos temos momentos bons, outros menos bons, mas cruzar os braços ou deixar cair toda a vontade de viver, não é solução.

Devemos lutar para conseguir atingir com sucesso os nossos objetivos de vida, nunca desistir nem dar passos atrás ao primeiro ou ínfimo problema que surja. Devemos procurar ser os vencedores e não os vencidos, pois a persistência é uma mais-valia, que nos levará ao caminho certo. É necessário sentirmo-nos confiantes e seguros de nós próprios, transmitindo esses sinais com energia.

Essa confiança e segurança devem partir do nosso ego, da nossa positividade perante as situações e pessoas, da nossa capacidade absoluta de superar as expetativas, do nosso projeto de compromisso com a vida.

Por isso lutei. E independentemente dos meus 36 anos, entrei em ação, para mostrar aos outros que sou capaz e para demonstrar as minhas qualidades. Decidi. Fui procurar algo que me devolvesse o alento e me desse um novo respirar! Procurei e, ao fim de um tempo, encontrei. Foi no Centro Formativo Master D. – www.masterd.pt -, no âmbito de um curso virtual, que encontrei essa solução.

Após as burocracias necessárias, iniciei o curso de “Eventos, Relações Públicas e Marketing”, com o apoio, incentivo e disponibilidade total à distância.

Tive sempre presente a ideia de que seria importante ligar a área das artes (enquanto docente de EVT) ao encontro de novas técnicas e criatividade, com a finalidade de procura de emprego, tendo desta forma, um leque mais abrangente e uma ligação social mais ampla e criativa.

Sentir-me útil também fazia parte do plano. A qualidade de serviços prestados foi, e que fique claro, continua a ser exemplar em todas as áreas envolventes, desde a relação com o cliente / recursos humanos e marketing, passando pelo apoio de um tutor, chegando ao auxílio cooperativo do departamento de empresas.

Foram-me disponibilizados todos os meios possíveis de apoio ao estudo, tendo realizado com sucesso a parte teórica do curso (atingindo o patamar P8.10), fruto também de muito empenho, interesse e dedicação pessoal. Aquando do desenrolar do curso, tive a ideia, que prontamente foi apoiada e levada a cabo, da criação de um blogue – hora5.blogspot.pt – do qual, pouco tempo depois, desenvolvi também um estudo de satisfação por meio de um questionário, com o intuito de testar as minhas capacidades “comerciais” e relacionais.

Desta forma, desde já deixo uma palavra especial de apreço a todos quantos têm colaborado para o normal e eficaz desenvolvimento do curso que tenho frequentado. Chegou então, a época de iniciar o estágio profissional. Também este teve mão direta do departamento de empresas da Master.D.

Numa primeira tentativa, alguns problemas de coordenação relacional do local de estágio com as áreas em que deveria praticar, levou-me a sair após um curtíssimo episódio. No entanto, mais uma vez me impulsionei positivamente e, no próprio dia, relatei o sucedido e pedi uma nova oportunidade num outro local, sendo-me esta concedida.

Algum tempo depois, iniciei novo estágio, no Museu de Lamego – www.museudelamego.pt -, que desta vez decorre na normalidade. Tem sido um desenrolar de aprendizagens, com teor essencialmente técnico e pratico, na área do Design gráfico de Eventos, com a finalidade de Marketing comercial. Trata-se de uma relação de áreas como as artes, a história de arte, o grafismo visual, o desenvolvimento e comunicação de eventos, a imagem.

O apoio incansável do Diretor do Museu, assim como o espírito de entreajuda entre todos quantos ali trabalham, assim como a simpatia e “comunhão” que dali irradia, têm proporcionado novas experiências, fazendo com que o estágio se torne numa máquina de satisfação.

Tem sido deveras lucrativo, dinâmico, de grande desenvolvimento pessoal e profissional. Até pedi autorização e, uma vez que o gabinete dos estagiários se situa na Biblioteca do Museu, tenho aproveitado algum tempo livre para fazer pesquisa para uma possível monografia ou apenas história e desenvolvimento da minha localidade (Cambres). Que melhor poderia desejar?

Em suma, não nos devemos deixar abater pelas armas do retrocesso e insucesso. Devemos sim mostrar as nossas reais competências e qualidades, sempre com uma força de espírito além daquela que nos é esperada.

Sabe bem sentir que podemos ajudar a fortalecer o futuro para nós e para os outros. Temos de pensar “Não sou melhor que ninguém, sou só eu mas sou uma excelência de pessoa”. É para desempenhar um papel psicológica e fisicamente ativo e criativo que aqui estamos, por isso o lema é mesmo “olhar em frente”, porque as verdadeiras oportunidades surgem quando menos esperamos.

Lucília Monteiro