Conheça mais um caso de sucesso. Miguel Simão, formando que finalizou o nosso curso de programação iPhone, partilha a sua experiência de aprendizagem, a sua paixão pelo mundo da programação e como começou a desenvolver aplicações que já disponibiliza online.

img1291 Caso de sucesso em Programação iPhone

Aqui fica o testemunho na primeira pessoa:

Ser programador foi sempre um sonho. Ter a possibilidade de criar algo de raiz e de, com isso, influenciar a vida das pessoas foi algo que me apaixonou. Quando terminei o meu curso em algumas linguagens de programação, como JAVA, JavaSript, PHP, etc, pensei em seguir esse caminho. No entanto, com o aparecimento do iPhone, surgiu-me a ideia de programar para algo que “mexesse” directamente com a vida das pessoas por estar na palma das suas mãos. Daí que, passado pouco tempo, tenha começado a aprender sozinho Objective-C (linguagem para dispositivos MAC). Ao fim de algum tempo de estudo, percebi que necessitaria de um curso de formação, não só para aprender mais, como também para obter um Certificado e um Diploma para futuros trabalhos (o mercado assim o exige!).

Pesquisei na web inúmeros cursos em Portugal e no estrangeiro, mas nenhum preencheu os meus requisitos: uma boa relação preço/qualidade e estudo à distância. Normalmente são realizados localmente. Após sugestão de um amigo, fui dar ao Curso de iPhone ministrado pela Master.D. Na altura pensei “porque não?!”. Era português, à distância e com um preço razoável, tendo em consideração o produto em causa. Como já tinha alguns conhecimentos na matéria não foi difícil seguir em frente nas primeiras unidades; a partir da 8 a coisa foi um bocadinho mais complicada mas nada que com entrega e muita vontade de aprender não pudesse ser ultrapassado. Ao fim de 6 meses, concluí com maior ou menor dificuldade o Curso. Pelo meio fui sempre actualizando aplicações que já tinha feito ou estava a fazer com os conhecimentos adquiridos ao longo do curso.

Tive da parte do Tutor uma valiosa ajuda, sempre disponível para ajudar e resolver qualquer questão. Quando se estuda, sobretudo com gosto, queremos sempre perceber o porquê das coisas, porque é que A não é igual a B e vice-versa. Ensinar e aprender não é um processo fácil, é antes um caminho por vezes longo cujo resultado é sempre compensador. O acto de saber algo é extraordinário e, em programação iPhone único, porque a partir do momento em que colocamos os nossos trabalhos (aplicações) na Apple Store, o mundo inteiro fica a saber quem nós somos ao “sacar” o nosso trabalho/aplicação. Apesar de já ter feito muitas aplicações, só duas estão neste momento disponíveis na Apple Store. E porquê? Por duas razões: 1ª a Apple tem requisitos muito rígidos quando à aprovação de aplicações, têm de ser mesmo muito boas para serem aceites (no passado, tive duas rejeitadas por não cumprir em termos de layout e objetivos); 2ª como é obrigatório apresentar muito boas apps é fundamental fazer inúmeras “apps protótipo” (testes) de modo a que o produto final seja realmente muito bom, que não dê hipóteses à Apple de rejeição.

Desenvolver uma app pode ser um processo penoso, ou seja: “it takes time”, demora imenso tempo; ter muito paciência para testar inúmeras formas de “chegar lá”; saber lidar com a frustração do erro sistemático; e trabalhar com afinco a fim de cumprir com o maior requisito do programador que é….”keep it simple” (desenvolver algo que seja simples, prático e intuitivo).
Dos pontos referidos, destaco o saber lidar com a frustração do erro como o mais importante, por ser este que nos leva a pensar em desistir – é efectivamente a opção mais simples….desistir. Nestas alturas lembro-me sempre das palavras de Steve Jobs sobre o “sucesso”, dizia que a diferença entre alguém com sucesso de outro está basicamente na persistência em continuar, de não desistir e para isso acontecer é necessário amar o que se faz. Quem continua tem, mais cedo ou mais tarde, sucesso. Quem nos criou / programou, estabeleceu um tempo delimitado de vida, 10, 20, 30, 40, 50 ou 100 anos, como não sabemos quando irá terminar, então é usar o melhor que temos, o tempo (de vida) a fazer o que mais gostamos. É isso que faço!

Termino com duas frases que têm marcado a minha vida.

“Ser o homem mais rico do cemitério não me interessa. Ir para a cama todas as noites dizendo hoje fizemos algo extraordinário, isso é que me importa”. – Steve Jobs

“Sucesso consiste em ir de fracasso em fracasso sem perder o entusiasmo” – Sir Wiston Churchill

Keep dreaming 😉

Abraço
Miguel Simão

Acrescentamos que pode consultar o trabalho do Miguel neste site e também na sua página de facebook.